sábado, 27 de agosto de 2016

Ford GT

Beautiful meeting of Ford GT, in a Restaurant Parking, where we could see details of this rare vehicle. 
Reunião de veículos Ford GT, flagrados em estacionamento de um restaurante nos EUA, enquanto os proprietários almoçavam suas belas máquinas foram objeto de admiração dos transeuntes.
















O modelo original, Ford GT40, feito para vencer as 24 horas de LeMans, conquistadas de 1966 a 1969,

E uma prévia do próximo modelo !

All pictures : Xracer (Ford GT) and divulgation

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Large sedans

Grandes sedans são maravilhosos, possuem harmonia no desenho, espaço à vontade, conforto. Três divisões bem definidas : motor, passageiros e porta-malas em 3 volumes. Cada um acomodado no seu espaço, acho isso agradável à vista !


Large sedans are wonderful,  have harmony in design, space at ease, comfort. Three well-defined divisions  : engine, passenger and trunk in 3 volumes. Each accommodate in its space, I find it pleasing to the eye !




Photos : Xracer (only the second),

terça-feira, 14 de junho de 2016

1970 Mercedes-Benz 300SEL 6.3 (W109)


Spotting a 6.3 downtown Berlin-Kreuzberg is something we thought would never happen – actually, we never even expect to find one anywhere. But it happened today and here’s the story.

Dar de cara com uma Mercedes 300SEL no centro de Berlim-Kreuzberg é algo inusitado e que pensaríamos não acontecer atualmente, pelo contrário, esperávamos não as encontrar facilmente em lugar algum. Mas aconteceu ao autor dessas fotos e abaixo vai a estória desse encontro :
As the author took pictures, thrilled and with shaky hands, the owners came back and were kind enough to tell us about the history of their gem. 6.3 number 4358 first hit the road May 14th 1970 and was sold from the estate of its first owner, a West-Berlin entrepreneur, through an auction. The car never underwent a restoration, but along with the car came a folder with 46 years of service documentation: bills, original service notes („Der Mercedes verbraucht bei 220 km/h etwa 38 Liter Super-Benzin“), original manuals, maintenance notes and licenses. Priceless, eventhough the life of the original owner found a more tragic end – he committed suicide on his yacht. But his 6.3 roars, shines and rumbles on …  

Com o autor do artigo tirando fotos, aproximando-se e apertando as mãos, os donos vieram pra perto e foram gentis o suficiente para nos contar acerca da história de sua preciosidade. Este Mercedes-Benz 6.3 número 4358 saiu para seu primeiro passeio na rua em 14 de Maio de 1970 e foi vendido nesse estado de seu primeiro dono, um empreendedor de Berlin Ocidental, através de um leilão. O carro nunca foi restaurado, junto com o carro veio uma pasta com 46 anos de serviços nele efetuados, tudo documentado : contas, notas de serviços originais, manuais originais, notas de manutenção e licenças de trânsito. Invelizmente, a vida de seu dono original teve um fim trágico, com ele cometendo suicídio em seu iate. Mas seu 6.3 rosna, brilha e roda macio...
Ok, so here are the geeky bits:
• note the rare rear headrests, they are originals and were ordered in black.  
• note the jaw-dropping super quality thick red leather, unmatched by anything out there today
• note the Macassar wood panels, the most beautiful of the five woods available on the W108/109 series
• note the five extra factory switches on and beneath the dashboard
• note the original post-1968 Bosch alloy wiper arms with original MB rubbers
• note the flawless original chrome
• note the rare VDO Kienzle clock in the dashboard with round edges
• note the automatic antenna
• note the longer wheelbase to fit in the massive M100 enginetransplanted from the 600
• note the Becker Mexiko tuner with tape


Ok, agora os detalhes do carro:
Note os raros apoios de cabeça traseiros, eles são originais e foram encomendados na cor preta.
• Note o couro de excelente qualidade de cor vermelha, texturizado com entrelaçados, nenhum couro atual é páreo para este tipo.
• Note os painéis de madeira Macassar, os mais bonitos das cinco madeiras disponíveis nas séries W108/109.Lisos, brilhantes, perfeitos e de acabamento impecável.
• Note os cinco extra fábrica interruptores no painel abaixo dos instrumentos.
• Note os braços originais de liga, do limpador de párabrisas, modelo pós 1968 com a borracha original Mercedes Benz.
• Note os cromados sem falhas nem descascados, originais.
• Note o raro relógio VDO Kienzle no painel, com cantos arredondados.
• Note a antena automática.
• Note a grande distância entre eixos, para caber o grande motor M100 transplantado do modelo 600.
• Note o rádio Becker Mexiko com tóca-fitas.

PS – Autowahn advice: keep ALL doors locked when parking your 6.3 downtown. Gute Fahrt!

PS - O site Autowahn adverte : mantenha TODAS as portas travadas quando estacionar seu 6.3 no centro da cidade. Boa viagem!!
Source : http://autowahn.tumblr.com/post/142531860125

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Bomba de Abastecimento de Ethanol nos EUA

Detalhes de uma bomba de E85, mistura de 85% de Etanol com 15% de Gasolina, em posto nos EUA.Essa mistura favorece o carro pegar no frio, dispensando a injeção de gasolina e todo equipamento necessário (tanquinho ou injetor extra). 
Nos postos americanos não tem frentista, cada um abastece após passar um cartão ou pagando antes num caixa dentro da loja de conveniência. Sempre muitas bombas e nenhuma fila.

O valor por galão estava bem em conta, com a gasolina a U$ 1,90 na ocasião da foto (Janeiro de 2016) o E85 estava 25% a menos, U$ 1,50 o galão de 3,78 litros, uma pechincha. No câmbio dava R$ 1,70 o litro.
Lembrando que nos EUA por respeito ao consumidor que tem carros antigos, existem postos com bombas de gasolina pura, sem adição de Etanol (Álcool), pois lá como no Brasil eles misturam Álcool na gasolina, porém só 10%.

Todas as fotos : Copyright de Xracer

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Brasilia LS 1982 - Tirando da Concessionária

A semelhança de quando meu pai comprou o Corcel II em 1978, por mim narrado neste post , venho mostrar aqui as fotos de quando compramos e fomos tirar na Concessionária Saga, de Goiânia, um VW Brasilia LS ano e modelo 1982, novinha. Até hoje lembro do cheiro maravilhoso e do carro todo envolto em plástico nos bancos dianteiros e traseiros.  

Esse carro era completo, todos os opcionais ! Além do painel com a faixa imitando madeira tinha os Vidros verdes com desembaçador elétrico traseiro, relógio e vacuômetro no painel, ventilador elétrico, rádio Bosch AM/FM/OC e ar quente. Primeira providência minha ao chegar em casa com ele foi ler o manual do proprietário (de capa laranja) detalhadamente de capa à capa, conferindo no próprio carro os itens mostrados. Esse dia estava chuvoso e por isso os pingos refletidos no pára brisa na foto acima.
Posso dizer que aprendi a dirigir neste carro, aos 14 anos indo pra Chácara que tínhamos na época. Eram 20 Km de estrada de terra depois de sair da Rodovia asfaltada, e meu pai sempre passava o volante pra mim. Foi um ótimo aprendizado, o carro era fácil de guiar, muito mais fácil do que o Corcel II fora anteriormente pra mim, com o volante mais leve e sem o torq steer presente no Ford.
Não se passaram seis meses e o carro foi roubado no Estacionamento da Faculdade aonde meu pai cursava à noite. Terrível noite aquela, nunca vi ele tão nervoso quanto naquele dia. A Policia o encontrou no dia posterior, depenado, sem rodas, bancos e motor. Uma excelente caixa de ferramentas que meu pai possuía e estava no porta-malas dianteiro também foi embora. Como ele tinha Seguro total o mesmo reconstruiu o carro e ele voltou pra casa cheirando novamente novo. Ainda haveriam mais dois roubos contra esse carro, na rua por duas vezes roubaram o rádio e depois o toca-fitas TKR que meu pai pusera.
Adesivo do número de chassi, final 999619, por onde andará esse carro hoje em dia ?
Propaganda da VW em 1981

Fotos : Xracer e divulgação

domingo, 15 de maio de 2016

Cédulas de minha coleção

Arrumando minhas caixas de antiguidades e curiosidades encontrei algumas notas brasileiras que havia guardado a muitos anos e que estão em excelente estado !


   



Acho essas notas de 50 e 100 cruzeiros muito bonitas, muito caprichadas mesmo ! Sem os inúmeros dispositivos de segurança das notas atuais, valem-se de detalhes e da textura característica para autenticarem seu valor, além da marca dágua.

Ops... eu tinha falado brasileiras, mas tenho também essa argentina, de 1 peso, estalando de nova como as outras. É uma nota da década de 80, se não me engano !

Com a inflação galopante da década de 80 novas notas foram lançadas em poucos meses.

verso
Umna comparação com as cédulas de 1 Cruzeiro com as de 1 Real, ambas verdes. A diferença de desenho salta pela modernidade da de Real.