segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Windows 95 Caixa original

Eis ai para nossa lembrança a caixinha maravilhosa em que vinha o Windows 95 no Brasil, lançado a 25 anos atrás e que revolucionou e popularizou exponencialmente o uso desse Sistema Operacional da Microsoft !

Here, for our remembrance, the wonderful box in which Windows 95 came in Brazil, launched 25 years ago and which revolutionized and exponentially popularized the use of this Microsoft Operating System!


A caixa é pesada devido ao material e disquetes inclusos.
The box is heavy due to the material and diskettes included.




Conteúdo da caixa : disquetes de 3 1/2'', muitos deles !
Box contents: 3 1/2 '' floppy disks, many of them!








                                            Manual grossão e completo.
Thick and complete manual.

e antes que pergunte-me se quero vender, infelizmente não possuo mais este material, doei a 5 anos atrás após tirar essas fotos.
and before you ask me if I want to sell it, unfortunately I no longer have this material, I donated it 5 years ago after taking these photos.

sábado, 10 de outubro de 2020

Arte automobilistica e os Murais de Detroit

Comemorando as 70.000 visitas no Blog vou mostrar algo diferente hoje, que combina arte, com nostalgia e automóveis.

São os grandes murais pintados em Detroit, sobre a indústria automobilística.


Automobile Art and the Detroit Industry Murals


Texto de Wallace Wyss


One of the greatest car paintings ever made is not, as one would expect, a single portrait of a single car. No, it’s a mural. And it isn’t just one mural on one wall, it goes on and on in room after room. And as you will see, it is powerful, evocative and controversial.

Uma das maiores pinturas de carros já feitas não é, como seria de esperar, um único retrato de um único carro. Não, é um mural. Não é apenas um mural na parede, ele continua em sala após sala. Como você verá, é poderoso, evocativo e controverso.

Commissioned in 1932 by Museum Director William Valentiner, the murals, collectively known as Detroit Industry, cover all four walls of the Garden Court in the Detroit Institute of Arts Museum, and number 27 in all. Bankrolling it was Henry Ford’s son, Edsel B. Ford, then president of the Ford Motor Company, who was trying in every way to escape the grinding pressure imposed by being the son of the most famous industrial leader in the world.

Encomendado em 1932 pelo diretor do Museu William Valentiner, os murais, coletivamente conhecidos como 'Detroit Industry', cobrem todas as quatro paredes da Garden Court no Museu do Instituto de Artes de Detroit e são em número de 27 no total. O financiador foi o filho de Henry Ford, Edsel B. Ford, então presidente da Ford Motor Company, que tentava de todas as maneiras escapar à pressão imposta por ser filho do líder industrial mais famoso do mundo.

The artist was Mexican Diego Rivera, (1886-1957) who set up house in Detroit while he painted the mural, a job that took him eight months. By choosing to work in murals, he gave the public a chance to see artwork which they might not if held in private collections and galleries. He took commissions for the painting of murals because he believed by using (preferably public) walls as his canvas, he helped revive the mural as an art form in the U.S. Though he died more than half a century ago, he is still among the most revered figures in Mexico, both for leading his country’s artistic renaissance and bringing to the new world a fresh appreciation of the of the mural genre.

O artista foi o mexicano Diego Rivera, (1886-1957), que se mudou para Detroit enquanto pintava o mural, um trabalho que levou oito meses. Ao optar por trabalhar em murais, ele deu ao público a chance de ver obras de arte que não veriam normalmente por estarem em coleções e galerias particulares. Ele recebeu comissões pela pintura de murais porque acreditava que, ao usar paredes (de preferência públicas) como tela, ele ajudava a reviver o mural como uma forma de arte nos EUA. Embora ele tenha morrido há mais de meio século, ele ainda está entre as figuras mais  reverenciadas no México, tanto por liderar o renascimento artístico de seu país quanto por trazer ao novo mundo uma nova apreciação do gênero do mural.

It is best to look at the murals in chronological order, starting with the east wall which depicts a baby in the bulb flanked by two fertility figures and fruits and vegetables indigenous to Michigan. Rivera liked to connect human endeavors to earth and nature. Every icon in the fresco cycle is meant to play off something depicted in another part of the room, such as the east wall’s agricultural symbols playing off the west wall’s technology.

É melhor ver os murais em ordem cronológica, começando com a parede leste, que mostra um bebê numa lâmpada, ladeado por duas figuras de fertilidade e frutas e legumes nativos de Michigan. Rivera gostava de conectar os esforços humanos à terra e à natureza. Cada ícone do ciclo de afrescos serve para exibir algo representado em outra parte da sala, como os símbolos agrícolas da parede leste, reproduzindo a tecnologia da parede oeste.

A member of the Mexican Communist Party, Rivera was expelled in 1929 because of his suspected ties with the Russian politician/philosopher Leon Trotsky. Despite his leftist leanings, Rivera actually got on pretty well with Edsel Ford, the arch-capitalist who was authorizing a communist to do the murals in his auto plant. But, says art aficionado/historian Clyde Berryman, “This also brought Rivera problems of his own from the left who accused him of cozying up to capitalists, of being a ‘fake red millionaire.’” The relationship with capitalists did not go so well for Rivera with the Rockefellers, who commissioned him to do a mural at Rockefeller Center, but after it was done had it destroyed under pressure from those who said they were purveying Communist propaganda.

Membro do Partido Comunista Mexicano, Rivera foi expulso em 1929 por causa de seus suspeitos laços com o político / filósofo russo Leon Trotsky. Apesar de suas inclinações esquerdistas, Rivera se deu muito bem com Edsel Ford, o arqui-capitalista que autorizava um comunista a fazer os murais em sua fábrica de automóveis. Mas, diz o aficionado / historiador de arte Clyde Berryman: "Isso também trouxe problemas a Rivera da esquerda, que o acusaram de agradar aos capitalistas, de ser um 'falso milionário vermelho'". O relacionamento com os capitalistas não foi tão bem para Rivera com os Rockefellers, que o contrataram para fazer um mural no Rockefeller Center, mas depois que isso foi feito, ele foi destruído sob pressão daqueles que disseram estar fornecendo propaganda comunista.


Looking toward the west wall one can see the breadth and scope of the murals.
Olhando para a parede oeste, pode-se ver a amplitude e o alcance dos murais.
Diego Rivera's Detroit Industry - Image Journal

The Detroit Industry Mural: Diego Rivera's Humanist Art | The ...

Diego Rivera: The Detroit Industry Murals by Linda Bank Downs ...
Há detalhes intrigantes, como esse :
Detroit, 1932: when Diego Rivera and Frida Kahlo came to town
Afinal era uma industria de automoveis ou de artefatos explosivos quimicos ?
Diego Rivera's Detroit Industry Murals at DIA: A Masterpiece Part ...

Os baroes da Industria olhando os trabalhadores, com a regua na mao

Detroit Industry Murals - River Court, DIA - Picture of Detroit ...

Ha muitos detalhes !
Labor of love
Art Deco Detroit Part 4-Diego Rivera's Detroit Industry | Decopix

Art Decó total !

Source : https://www.velocetoday.com/automobile-art-and-the-detroit-industry-murals/
https://www.dia.org/riveracourt

segunda-feira, 27 de julho de 2020

Chevelle SS 72

Vamos dar uma olhada maior neste carro da Chevrolet, que foi muito popular nos anos 70, o Chevelle, especialmente em sua versao mais quente, a SS.


A semelhança com o Chevrolet Opala brasileiro é grande, aqueles modelos de 1975 a 1979.











Photos : Xracer and Chevelle Stuff

domingo, 12 de julho de 2020

Peterbilt 357 Dump Truck

Mais um post !

Dessa vez um assunto pesado, sem aspas.

Vamos ver de perto um caminhão Peterbilt 357, americano, no seu habitat. Um caminhão basculante, raiz, capaz de carregar muita areia nele.
Emblema na lateral , "feito pelo Pedro" com muito orgulho !
Como tudo na América, grande , robusto e potente ! Sem murrinhagem no uso do espaço, bicudo. Vamos andar ao redor dele :
Frente bruta, estilo tradicional. Cofre do motor quadrado, faróis sobre os para-lamas destacados.
Na lateral algo que parece um filtro ou uma valvula de alivio do sistema de ar comprimido. Caixotes de aluminio para ferramentas ou pertences do motorista.
Deste lado vemos o filtro de ar, protetor de escapamento e o tanque de diesel, todos cromados. Note que o caminhão usa diversos acessórios cromados, não sei se de fábrica ou adicionados depois da venda. Configuração provável de 6x4, 3 eixos com os dois traseiros de tração e deslocados para os extremos do chassi.
Pela lateral agora. Pneus bem judiados, carecas mesmo. Oficiais da polícia adorariam parar esse caminhão para averiguação. Pneus Greenlander (nunca ouvi falar dessa marca) tamanho 11R24.5. Rodas de ferro, brutas. Suspensão traseira em feixe de molas, certo ? Opss... vamos ver d'outro angulo.
Nem sinal de haver parachoques, dá para ver as lanternas quase no meio da traseira e um gancho gigante para rebocar. Mas... o que é isso aqui, visto por trás ? Esses "canecos esfericos" ? 

Parecem ser  os reservatórios do sistema de freio a ar comprimido, saem mangueiras deles. Sei que os caminhões com suspensão a ar também os possuem atrás.

Subi pela lateral para ver o interior. Câmbio manual, espaço apertado mas piso da cabine plano. Volante não tão grande (quanto um Mercedes 1113), fios de um microfone do radio CB (quem assistiu ao filme "Comboio" vai lembrar), porta do passageiro (ajudante) com janela inferior para melhor visibilidade. Espelhos as pencas para ajudar a manobrar e visualizar a lateral e traseira.

Enfim , um caminhão americano da gema !

Update 13/Julho/2020 : Mostro mais fotos do interior da cabine desse modelo de caminhao, de outras fontes.






©️ Todas as fotos Xracer, exceto as 4 ultimas deste site e deste